terça-feira, 6 de novembro de 2018

PETP: INTRODUÇÃO


O Parque Estadual dos Três Picos (PETP) foi criado pelo Decreto Estadual nº. 31.343, de 06/06/2002. É a maior unidade de conservação (UC) de proteção integral do Estado do Rio de Janeiro, com 46.350 (em 2007) hectares de área, e é administrada pela Fundação Instituto Estadual de Florestas (IEF), órgão integrante da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA). Tem como objetivo conservar uma grande área de florestas em excelente estado de conservação na Região Serrana do Estado, mais particularmente na chamada Serra dos Órgãos, pertencente à Serra do Mar, que se estende por vários estados brasileiros, próxima a costa atlântica ao sudeste do continente sul-americano. Aproximadamente metade da área do PETP encontra-se no município de Cachoeiras de Macacu e o restante divide-se entre os municípios de Nova Friburgo, Teresópolis, Silva Jardim e Guapimirim.

O desenvolvimento do presente trabalho visa à divulgação de informações sobre as características básicas do PETP, pois, por se tratar de UC criada recentemente, faz-se necessário enriquecer a produção científica que dê suporte às ações de proteção à natureza do território em questão e de seu entorno. Entretanto, as descrições, questionamentos e proposições básicas aqui apresentadas não têm a pretensão de esgotar o assunto, tão amplo e complexo assim como toda problemática ambiental pertinente ao tema.

A questão norteadora do desenvolvimento deste trabalho é a seguinte: como o PETP pode contribuir, enquanto uma unidade de conservação de proteção integral com seus objetivos intrínsecos previstos em lei, para a conservação da natureza da região onde se insere e do Estado do Rio de Janeiro como um todo?

Colocado isso, os objetivos específicos a serem alcançados são:

1) Reunir as informações básicas sobre o PETP;

2) Mostrar a importância dos aspectos naturais existentes em seu interior e entorno para a sociedade fluminense, especialmente para os municípios diretamente envolvidos;

3) Identificar problemas de sua gestão e propor soluções; e

4) Analisar aspectos de sua inserção na conjuntura político-ambiental do Estado do RJ na atualidade.

Para atender a essas expectativas, o desenvolvimento do trabalho foi divido em três capítulos. O primeiro trata das considerações conceituais e teóricas que servirão de base e, ao mesmo tempo, iluminarão o caminho para entendimento das questões que serão colocadas mais adiante. O segundo a situação do meio ambiente e os esforços para a conservação da natureza no Estado do RJ como um todo. E o terceiro entra na caracterização do PETP em si, seus aspectos, suas dificuldades e seus benefícios, sempre procurando ressaltar sua posição dentro da região e do Estado.

A busca de informações para a elaboração deste trabalho consistiu em levantamentos bibliográficos referentes às explicações que antecedem a abordagem direta do parque. Esses esclarecimentos iniciais foram vitais para situar o leitor na questão aqui tratada dentro do universo das questões ambientais contemporâneas.

Para viabilizar a realização do restante do trabalho foram feitas extensas e numerosas pesquisas de campo, na medida em que as referências bibliográficas específicas sobre o parque são escassas. Foram realizados acompanhamentos, durante meses, dos administradores e funcionários em suas atividades de campo para fiscalização, educação ambiental, vistorias, manutenção de trilhas, combate a incêndios, etc., e ao cotidiano vivido na sede e nas sub-sedes do PETP. Foram acrescentados também os dados obtidos em cadastros internos, processos administrativos, diários oficiais e entrevistas. Outros subsídios de informações puderam ser obtidos com os executores do plano de manejo do parque, o qual estava sendo elaborado concomitantemente.

Nenhum comentário: